E-familyblog
SEARCH THIS BLOG |  SEARCH ALL BLOGS |  DENOUNCE THIS BLOG |  NEXT BLOG    |  Create a Blog |  E-familyblog  


Temas
Planejando a gravidez
Gravidez
Maternidade
Creche e Educação
Depressão Pós-parto
Endometriose
Minha História
Parto e Pós-Parto
Amamentação
Desenvolvimento Infantil
Fertilidade Masculina
Alimentação do Bebê
Enxoval e Festas
Saúde do Bebê
Variedades
Hormônios
Ovários Policísticos
Mulher e Adolescência
Blog e Promoções
Sono e Rotina do Bebê
Meu outro Blog
Página Principal
Entre em Contato


Os meus Atalhos
Utilidades (calculadoras, testes...)




Blog Da Fertilidade à Maternidade!

E-familynet.com Ticker
Blog Da Fertilidade à Maternidade!


[14/04 20:08]
Eu e a Depressão Pós-Parto!

Bom, queria contar um pouquinho da minha experiência com a depressão pós parto (DPP), contar exatamento como tudo aconteceu e tentar ajudar outras mães que possam estar passando por isso.

Então, no domingo quando tive alta do hospital, cheguei em casa e acabei não seguindo as prescrições médicas de fazer repouso. Estava me sentindo bem, então desfiz as malas, fui pra internet postar fotos, dei mama até em pé. Aí resolvi descansar um pouco, quando acordei me senti muito estranha, parecia que estava meio 'fora do corpo', aquela sensação de quem tá de porre e fica meio aérea. Fui falar com meu marido e me assustei mais, pois ouvia a voz dele como se estivesse robotizada, muito estranho. Aí me deitei, comecei a sentir um formigamento estranho no peito e nos braços, tinha a nítida impressão que ia ter algum problema cardíaco, que ia morrer. Ui chega a dar um arrepio de escrever isso, mas é verdade, naquele momento acreditei mesmo que ia morrer, é uma mistura de pânico e razão, não sei explicar com palavras. Mas não falei isso para o meu marido para não assustá-lo, procurei manter a calma, pelo menos externamente, mas no meu pensamento só rezava e pedia a Deus pra me deixar ver minha filha crescer. Liguei pra minha médica, ela pediu p/ o meu marido medir minha pressão e que eu deitasse com as pernas bem pra cima imediatamente, pois devia ser das anestesias. Minha pressão estava alta, talvez até pelo nervosismo.

A essa altura já tinha ligado pra minha mãe e também para minha cunhada, pedindo que viessem para ter alguém pra me acompanhar ao hospital e pra ficar com a Gi, até eu me admiro do meu alto controle naquele momento. Minha amiga Mê, tinha combinado de vir nos ver e acabou chegando bem nesse horário e muito me ajudou nesse momento, pois me passou tranqüilidade. Minha mãe veio correndo junto com a minha vó e logo em seguida minha cunhada também. 

Foi muito complicado passar calma para todos e ao mesmo tempo sentir o que eu estava sentindo. Começaram as divagações sobre problemas de infecção, anestesia, etc. Então depois de duas horas me senti um pouco melhor e achei que tudo ia ficar bem, que devia ser da anestesia como minha médica disse. No dia seguinte acordei e aquela sensação de pânico voltou, era uma tontura, uma sensação 'extra-corpo'. Na mesma hora liguei pra minha médica e disse que precisava voltar para o hospital. Bom, foram mais 5 dias de hospital em repouso absoluto, como contei na história do meu parto.

Relatei tudo isso, na verdade, porque minha médica e meu psiquiatra disseram que aquela sensação de pânico era o 1o sinal da DPP.

Daí pra frente parece que não conseguia me sentir segura, tinha medo de sair sozinha com minha filha, a sensação que eu tinha é que se eu fizesse isso ia desmaiar no meio da rua. Comecei a sentir uma tristeza sem razão de ser, me sentia insegura e até, em alguns momentos, incapaz de cuidar da minha filha. Mas achei que essa sensação era normal, que logo ia passar, mas não passou, cada vez ia me sentindo pior, chorava por qualquer motivo e até sem motivo nenhum. Não tinha disposição para fazer nada, tinha medo de assumir alguma responsabilidade, me sentia mal quando tinha várias pessoas ao meu redor, mesmo que dá família. Fiquei completamente introspectiva, só falava se falassem comigo e mesmo assim somente o necessário.

Nisso, foram se passando os meses, eu achando que era tudo normal, que devia ser só uma sensação passageira do pós-parto, o que chamam de baby blues, achei que eu ia conseguir reagir sozinha, mas não foi assim. Cheguei no fundo do poço, chorava muito e sentia uma insegurança incomum. Quase me separei por conta disso, pois fiquei de um jeito que acho que nem eu mesma me agüentava mais. Aí resolvi marcar consulta com a minha médica, só que só consegui para 2 semanas depois. Depois disso, combinei com a minha amiga de ir ao shopping, só nós duas pra tentar espairecer e me sentir melhor. Bom, foi só a gente começar a conversar que desatei a chorar, não conseguia me controlar, as lágrimas rolavam, então ela pegou meu celular e ligou para minha médica e contou como eu estava, minha médica mandou eu passar no outro dia lá no consultório. Nossa naquele momento já me senti melhor, me senti acolhida, apoiada e sabia que ia conseguir resolver com ajuda médica.

Minha médica ficou apavorada como eu consegui esperar tanto, minha filha já estava com 4 meses, que devia ter falado com ela. Bom, ela me receitou fluxetina e um ansiolítico. Achei que em seguida já estaria ótima, mas que nada, melhorei muito pouco, achava que era assim mesmo, e já ia eu deixando o tempo passar. Até que um dia tive uma outra crise de choro compulsivo e finalmente marquei o psiquiatra, conforme minha médica havia indicado. Foi então que comecei o tratamento com anti-depressivo e equilid, melhorei bastante, mas não estava 100%. Então o psiquiatra decidiu aumentar a dosagem do anti-depressivo, nossa, como mágica, todos aqueles sentimentos ruins passaram, me senti feliz, como se tivesse renascido, é incrível.

A partir daí consegui voltar a ter prazer, curtir minha filha, meu marido e minha casa, voltar a ser a mulher segura e independente de antes. As pessoas ao meu redor começaram a notar a diferença, até na empresa, pois agora tinha disposição, consegui me sentir 'eu' de novo.

O tratamento continua, deve levar até 2 anos, e tb vou ter que ter que fazer um acompanhamento quando for ter uma outra gestação, mas depois de tudo que passei, sinceramente não vejo problema nisso.

Então se vc leu a minha história, se identificou com os sintomas e já sente isso a mais de 15 dias após o parto, procure seu médico, não faça como eu ficando esperando que tudo vá melhorar sozinho, porque não melhora, busque ajuda.

bjos,
Ale


Trackbacks

TRACKBACK URL: http://www.e-familyblog.com/trackback/2419

Comentários
re: Dpp
Oi Alessandra, não tive, no meu caso era o contrário, eu sentia muito sono, se pudesse passava o tempo todo dormindo, era como uma fuga de tudo q estava sentindo, 2o minha psiquiatra. Acho importante relatar para teu médico esse sintoma, às vezes é preciso reavaliar o tratamento e ou dosagem. No meu caso, demorou um pouco até acertar o tratamento, aí ajudava um pouco, mas não resolvia tudo, quando o psico acertou a medicação e a dosagem, nossa, foi como se revivesse, voltasse a ser eu. Alê
Escrito por: | 26/11 15:14

Dpp
Boa tarde,ale!!! Estive com esses sentimentos: nervosismo, dor de barriga , vomito. Comecei a tomar equilid, porém tenho insonia, ou seja, não durmo. Vc tb tinha insonia? Grata Alessandra
Escrito por: Alessandra | 26/11 14:33

re: depressão na gravidez
Oi querida, sei bem tudo que vc sentiu e com certeza teu depoimento vai ajudar sim. Eu tb não melhorei só com fluxetina, tive que consultar o psiquiatra e tomar antidepressivo, foi quando revivi. Bjos e espero que logo vc se sinta 100% de novo, Alê
Escrito por: | 16/03 21:31

depressão na gravidez
Oi meu nome é Fabiana,tenho 29 anos. Estou grávida de 8 meses,e desde que entrei no terceiro trimestre que me sinto muito mal.Tudo começou com uma falta de ar terrível acompanhada de uma dor dr cabeça constante,logo depois começei a ter muita insônia, não dormia de jeito nenhum.Ansiedade vinha a tona na minha mente,pensava mil e uma coisa ao mesmo tempo,que ia morrer na hora do parto,que não ia conseguir levar essa gravidea até o fim,depois pensava que não ia cuidar direito do meu filho,que poderia machucar ele,me sentia incapaz de tudo abandonei os me us serviços do lar,até pra cuidar da minha filha de 6 anos me sentia insegura.Enfim foi diagnosticado que estava com depressão no nível grave pois falava que não queria mais viver, não queria mais comer enfim... Estou tomando floxetina,melhorei um pouco mas ainda não estou bem completamente,está sendo uma luta sair dessa depressão. AS vezes as pessoas não entende o que é uma depressão,eu mesmo não entendia o pq de muitas pessoas pensarem em suicidio,paguei a língua com essa doença maldita.Espero de alguma forma ter ajudado alguém com meu depoimento.Bjão!!!!!!!!Felicidades!!!!!!
Escrito por: fabiana | 15/03 18:17

re: minha gravidez
Oi querida, possivelmente esse sentimento é algo subconsciente que vc ficou devido a essa gravidez inesperada. Eu te diria que seria importante vc procurar um terapia e conversar a respeito, pode te ajudar bastante e até curar esse desconforto q vc sente. E tb com uma nova gravidez vc pode se sentir mais culpada com essa sensação. bjs, obrigada por tb compartilhar teu depoimento, Alê
Escrito por: | 17/01 11:55

minha gravidez
oi ale me chamo jocilene e acho q tb tive uam depressão pos parto minha gravidez nao fo desejada sabe e na epoca tb nao era casada ainda sofri mjuito toda gestação q meu filho nasceu eu chorava muito me sentia sozinha e nao conseguia aceitar q er amãe eu regeitava ele sabe dentro demim eu nao queria mas acontecia hoje o wendell tem 6anos mas hoje ainda sinto algo estranho amo meu filho demas sabe ele eminha vida mas nao consigo ser uam mãe muito carinhosa sabe grito muito com ele as vezes e q ele vem me abraçar sinto algo estranho dentro demim sempre reluto sabe mas e estranho ñ sei se isso e da gravidez ainda nao conto p ngm guardo p mim isso sabe eu agora to tentando minh segunda gravidez na verdade nao to liberada pq to hiper tensa sabe mas quero muito uns egundo filho as vezes me reprovo por sentir esas coisas pq sei qmeu filho e meu amor mimha vida antes achava q ele me atrapalhava em tudo sabe mas hoje nao sinto assim apeans estranho qele me abraça muito mas luto contra esse sentimento pq ser mãe e tudo de bom nessa vida !! desculpa o livro mas vi tantos depoimentops q lembrei qo passei bjs
Escrito por: jocilene | 16/01 16:16

re: Muito Feliz
Oi Flavia, que bom querida e com certeza teu relato pode ajudar muito. Bjss, Alê
Escrito por: | 26/11 17:38

Muito Feliz
Oi Alê, voltei pra dizer que agora estou muito feliz, olho para o meu bebê e vejo ele com outros olhos, graças à Deus tudo passou, e até penso em ter outro logo logo..rsrs..é que quero muito uma menininha. Bom! Li os últimos relatos e fiquei muito triste com o que a Sônia e a Eu.. estão passando e quero deixar uma mensagem pra elas. Não desistam nunca, procurem ajuda profissional sim e se apeguem a Deus de todas as formas. Eu tive depressão 16 anos e acreditem nunca quis tomar remédios, pois achava que iam me viciar, mas eles foram a solução pra minha angústia, nunca pensei que com um mês de tratamento eu me sentiria tão bem, claro que às vezes eu ainda tenho umas recaidinhas, mas logo depois já estou bem dnovo e olha que tomei apenas uma caixa e parei para ver como eu reagiria, tenho a receita em casa, mas prefiro não comprar, pois tenho certeza de que com a ajuda de Deus e tentando viver um dia de cada vez, não precisarei mais deles, quando acordo e me sinto triste, começo a pensar em outras coisas e em como é bom viver, pois tantas pessoas com doenças termináveis queriam essa chance de viver e eu tenho e não posso e não vou desperdiçá-la. Desculpem o tamanho do texto, mas quem sabe ajude alguém!
Escrito por: Flávia | 26/11 15:49


Oi... É a primeira vez que entro no seu blog.....mas vim desabafar....meu bebe tem 3 meses e minha história eh parecida com a da Sônia....meu bebe, que foi um sonho realizado, não para de chorar, os pediatras não descobrem o que é....e me sinto incapaz de cuidar dele...tenho muito medo....minha tristeza eh quando começa mais um dia...sinto desanimo em tudo...fora que jah estou entrando em crise no meu casamento devido a essa situação...estou desesperada....não tenho coragem de conversar isso com ngm... Me ajude por favor....estou com muito medo.
Escrito por: eu... | 16/11 17:21

re: PP 3 meses após o nascimento
Oi Aline, eu tb não tive apoio do meu marido, parece que eles não conseguem entender, como se fosse bobagem nossa. Querida, antes de tomar qualquer decisão em relação a tua vida procure ajuda sim, pois não se sentir feliz não é normal. Todas as alterações hormonais que se passa no parto, mas tudo que vc passou com seus filhos, podem sim ter desencadeado uma depressão. Sei q não é fácil conseguir buscar ajuda, a gente sempre acha q vai conseguir reagir sozinha, mas amiga é preciso. Bjs e se precisar conte comigo, Alê
Escrito por: | 15/11 21:40

DPP 3 meses após o nascimento
Oi , lendo ser relato me identifiquei, neste exato momento penso se deveria pedir a separação ao meu marido, pois sinto como se não pudesse fazê-lo feliz. Meu filho vai fazer 4 meses quase o perdemos ao nascer, depois disso na minha dieta minha filha de 8 anos teve que operar e estive com ela todo esse tempo. Mas acho que a pressão de ser mãe, dona de casa, esposa e fazer faculdade está me deixando em uma situação de irritabilidade constante, brigo por muito pouco, não consigo me concentrar nos estudos, não me importo mas em cuidar de mim e da casa ou até mesmo em fazer a comida.Minha filha ja me cobrou mais atenção e penso muito em me separar do meu marido, pois nem desejo sexual eu sinto, não consigo mais me olhar no espelho sem ver a imagem de uma mulher cuja a autoestima se perdeu nos últimos meses, nem vontade em sorrir naturalmente eu tenho. Tentei falar com meu marido, mas não encontrei o apoio que precisava, só queria que ele me ouvisse, mas não foi possível. Neste momento minhas lágrimas rolam intensamente. Estou pensando em procurar ajuda e você está sendo meu primeiro passo.
Escrito por: Aline | 15/11 14:37

re: Tô desesperada!!!!
Oi Sônia, vou te responder por e-mail. bj, Alê 
Escrito por: | 13/11 0:09

Tô desesperada!!!!
Oi, essa é a 1º vez que visito sua página. Hoje em especial tô pior que os outros dias, nesse momento ta dificil até de digitar pq as lágrimas rolam sem eu conseguir controlar. Tenho uma filha de 11 meses e desde que ela nasceu não tive mais sossego. Duas horas após o nascimento minha filha começou a chorar e não parou mais, hoje ainda continua chorando por tudo a todo momento e muito alto. No começo eu chorava muito, até mesmo junto com ela, o tempo passou, fui me adaptando, tendo forças não sei de onde pra continuar cuidando dela e consegui parar de chorar. Quando ela estava com 07 meses e depois de passar por 11 pediatras pra tentar saber o motivo do choro inconsolável, veio a razão do choro: minha filha ao nascer quebrou a clavicula e ninguém sabia, nem mesmo os médicos. Foi me informado que ela era grande demais pra minha estrutura e ao nascer o médico deve ter dado uma puxadinha pra ajudar, o que pode ter ocasionado a fratura. Foi feito um tratamento com lazer pra não ficar dúvidas de que a fratura já estava consolidada, e de fato depois do tratamento foram feitos exames, e está tudo bem com ela. O problema é que esse choro, não parou ainda, e menina já foi revirada do avesso e fisicamente ñ tem nada, só que eu depois de passar 07 meses com um bb q durmia 45min. e chorava de 04 a 05 horas apos que acordava, ainda estou convivendo com isso. Durante o tratamento, acendeu-se uma luz no fim do túnel, pq eu achava que resolvendo o problema, tudo ia mudar, e que finalmente eu teria a paz que eu tanto precisava, mas.... não foi assim. Acho que na verdade, tenho depressão, pq tenho todos os sintomas, e ultimamente a única vontade que tenho é de morrer, Toda vez que eu acordo acabo caindo no choro só de saber que não morri. Quando rezo suplico a Deus pedindo a minha morte, ou então a da minha filha, que foi um sonho que realizei te-lá, mas que infelismente tornou-se um pesadelo. Resolvi escrever tudo isso aqui pra poder desabafar, pq parece que tenho um osso trancado na garganta. Não tenho ninguém da família por perto, pois meu marido é militar e qnd minha filha tinha 30 dias já estavamos em outra cidade, pq antes dela nascer já sabiamos que tinhamos sendo tranferidos. Meu único passeio é feito uma vez por mês qnd levo ela ao pediatra, e so vou pq ñ tive ânimo pra levar algumas vezes e a Dra. reclamou, nem mesmo no pátio de casa eu saio, minha casa é sempre fechada, parece q nunca tem gente. Se você ler esse meu desabafo peço q entre em contato comigo, pq além do meu marido, já faz 10 meses q não converso com ninguém, até pq todo mundo de fora me crítica acham que é exagero. Desculpa se tomei teu tempo, mas precisava muito desabafar, com alguém diferente, pq meu marido não diz nada, mas sei q ele ñ aguenta mais me ouvir falar. Não procurei médico ainda pq qnd contrato pessoas pra ficarem com meu bb, tenho q voltar pq ninguém aguenta ela, muitas vezez eu era a próxima paciente, e tinha que ir embora, pq quem cuidava do meu bb dizia q se eu não voltasse iria deixa-la sozinha, e ainda ligar pro conselho tutelar, pq não sabiam quem era mais louca eu ou a minha filha. Tudo isso é muito triste, me dói muito e não tem como não chorar, eu até tento mas não consigo. Gostaria muito de conversar com você, poder falar com alguém que sabe exatamente como é se sentir assim. Hoje em dia a minha tristeza maior é olhar pra minha filha, que foi tão planejada e amada, e sentir ódio por ela, querer me livrar dela, desejar que realmente tudo se acabe. obrigado pela atenção e pelo espaço pra escrever. Sei que isso não é um comentário e peço desculpas pelo excesso de palavras. bjo
Escrito por: Sônia | 12/11 21:53

Re: DPP
Nossa amiga, se vc tem síndrome do pânico então tb pode ser por isso mesmo, procura logo ajuda, pois é enlouquecedor mesmo, sei bem o que vc tá sentindo. E conta comigo, bjss, Alê
Escrito por: | 10/10 23:14

DPP
Nossa Alê, acho que abri o seu blog na hora certa, pois estou tendo tudo, exatamente tudo que vc teve, desde a dor de cabeça até as sensações estranhas de estar "fora do corpo", tenho sindrome do pânico, mas nunca tive essas sensações, agora consegui me acalmar um pouco e com certeza vou procurar ajuda, pois até então ninguém sabia me explicar de onde estava vindo todos esses sintomas, e eu já estava achando que era loucura minha. Obrigada e muitas felicidades pra vcs!
Escrito por: Flavia | 10/10 22:06

Re: depressão durante a gravidez
Oi Claudia, nossa querida, vc é uma guerreira mesmo, uma depressão assim nessa fase tb deve ser muito complicada, anda mais q vc não pode tomar medicação. A gente fica com esse medo mesmo, de ter outro e ter q passar por tudo de novo, é uma decisão difícil mesmo. Eu até pouco tempo não queria nem pensar nisso, hj já me sinto mais tranqüila. Vms nos comunicar sim, vou te reponder por e-mail tb. Bj e obrigada pelo teu relato, sempre pode ajudar outras mulheres. Alê
Escrito por: | 30/08 14:43

depressão durante a gravidez
Ale, eu tive depressão durante toda a minha gravidez. Eu planejei toda a gravidez, fui na melhor obstetra, eu e meu marido estávamos nas nuvens com minha gravidez, quando entrei no 3º mês, tive o primeiro ataque de pânico e fui parar no hospital. Tinha medo de tudo, todos tinham que ficar perto de mim. A noite eu não dormia, andava pela casa, parecia que tava mergulhada num outro mundo, meu marido conversava comigo e eu não escutava. minha ansiedade era tanta que eu não respirava direito, tinha fortes dores na barriga, mas, enfim, depois de chegar aos nove meses sem tomar sequer um medicamento, consegui dar a luz meu único filho Gabriel que hoje tem 11 anos. Me considero uma guerreira e ao mesmo fiquei impotente para ter outros filhos, pois posso passar por tudo novamente, então decidi ficar só com o Gabriel. As vezes me sinto muito feliz, e as vezes fico bem deprimida por não ter coragem de ter outro filho. Me conformo, pois estou bem assim e posso cuidar bem do Gabi. Sua história me chamou muita atenção. Espero que possamos nos comunicar e trocar experiencias. meu nome é Claudia, tenho 37 anos e sou professora de Pré-escola. abraços
Escrito por: claudia regina colovati bonilho | 29/08 17:50

Re: oi que bom que vc ficou melhor!!!
Oi Gaby, acho que a 1a coisa é consultar seu médico, relatar o que vc está sentido, aí ele deve te passar uma medicação ou mesmo te encaimnhar para o psiquiatra, como foi o meu caso. Não deixe se agravar, faça um esforço e procure ajuda. As pessoas realmente não entendem isso, acham q é bobagem ou frescura, mas não é. E conte comigo pra te ajudar, sei bem como uma outra pessoa que passou por isso entende e pode ajudar. Bjs, Alê
Escrito por: | 30/07 11:50

oi que bom que vc ficou melhor!!!
oi eu tenho uma filha que tem 1 3 mezes eu tenho depressao pos parto mais nao saio de casa pra nada quando saio e uma loucura nao sei mais o que faço me ajude tento sair com minha filha pra passear mais nao tem jeito niguem da importançia acho que minha familia acha que nao tem mais jeito pra mim .bjo!!
Escrito por: gaby | 30/07 3:45


Alê, que bom que vc resolveu compartilhar isso com outras pessoas! Tenho sindrome do panico e os sintomas são exatamente iguais aos seus. Me tratei com medicamento durante 1 ano,li muito,pesquisei e melhorei. Engravidei somente depois de melhorar e não tive mais nada. Me mantenho sob vigilia pois sei que meu problema não tem cura,mas dá para ter uma vida normal e feliz... Beijos e obrigada....
Escrito por: Leticia | 21/05 13:45

Re:
Oi Dani, com certeza, mas cuide-se, procure ajuda. Bj, Alê
Escrito por: | 20/05 17:27

Re: Dp pós parto
Com certeza Gi, o melhor é estar informada, assim vc vai poder entender melhor as mudanças que acontecem e até saber o momento de procurar seu médico se for preciso. Bjo na barriga, Alê
Escrito por: | 20/05 17:22

Dp pós parto
Oi ale, Realmente não deve ter sido fácil pra vc. Foi bom eu ter lido porque tenho dois casos de primas na família que tiveram, tenho medo de ter tb. Mas sabendo dos sintomas qqer coisa estranha que me acontecer qd tiver meu bb já procuro logo ajuda. Obrigada, Beijos
Escrito por: Gisele Brito | 20/05 16:45


eu estou assim cmo vc fkou agr e aki no meu pais eh tdo complicado,a lingua q nw sei direito e eu estou realmente sofrendo,...mas sei q vou melhorar...muito legal vc falr tdo isso,assim ajuda muitas maes...bjos
Escrito por: Dani | 19/05 16:55


Ale, que horror, sinceramente és uma mulher muito forte. Tive alguns sintomas de depressao, mas nada parecido com os teus e graças a Deus nao precisei tomar nenhum medicamento, mas foi fraquinha perto da tua. Que bom que estamos aqui, fortes e alegres para criarmos e estarmos do lado dos nossos anjinhos que precisam tanto de nos. Parabens pela tua força, tua batalha, com certeza daqui pra frente só virão coisas maravilhosas para vc. Bj
Escrito por: Andrea Viegas | 15/05 17:26


É só quem passou por isso sabe o qnto é ruim e difícil viver emocionalmente longe do bebê, hj estou quase curada, vc me ajudou muito com seu depoimento e eu tbm vou continuar ajudando as meninas no forum assim como vc me ajudou, parabéns pela pessoa que vc é...bjs
Escrito por: Pauhla | 08/05 22:11


Ale, sou mae de primeira viagem, meu bebe nasceu a extamente 1 mes! e vou te dizer, com uma semana dps de sair do hospital fui ver a minha psquiatra....a cabeça muda muito dps que vc vira mae...é uma coisa incrivel!!! eu nao tive nenhuma sensaçao de panico igual a vc..mas fiquei bastante emotiva tb, acho que ainda estou e pensei bastante oque seria da minha vida apartir daquele momento!!
Escrito por: Mandy | 16/04 22:00


Nossa, Ale, nao sabia de tudo o que voce passou, sinto muito , fico feliz que voce tenha tido ajuda e, nao acho que foi tarde, ja pensou se fosse ainda mais pra frente?Dai sim poderia ser perigoso! Nao consigo imaginar toda essa angustia e medo, voce realmente é uma mulher forte e, tem tudo para ser feliz! Parabens!! Daphne ! Ps.agora tenho blog tbm!Vou te passar por email!
Escrito por: Daphne | 15/04 9:31


colocar um comentário
Nome:


EMail:


Título:


Comentários:

Código:




* As informações disponíveis são meramente informativas, os comentários respostas são informações leigas e não substituem a Consulta Médica!

Blog Da Fertilidade à Maternidade no Facebook!



Link-Me!


Parceiros:
* Se vc quer entrar nesse painel, entre em contado!

Da Fertilidade à Maternidade no Facebook



FeedSearch - Feeds RSS e Atom
A service of e-familyblog.com, powered by E-familynet Networks